Polícia Civil descobre esquema que fraudou empresa Gloriense em R$ 500 mil

Três suspeitos foram presos e oito veículos apreendidos em MG

A Polícia Civil de Sergipe montou uma força-tarefa para descobrir o esquema de uma associação criminosa que atuava no desvio de cargas em todo o Brasil.

Investigadores da Coordenadoria de Recursos Especiais, Complexo de Operações Policiais Especiais (Cope), Divisão de Inteligência e Planejamento Policial (Dipol), Divisão de Roubos e Furtos de Veículos, Delegacia de Nossa Senhora da Glória e Delegacia de Lagarto participaram dos trabalhos. As investigações são realizadas desde 28 de dezembro.

O líder da quadrilha se passava por proprietário de grandes empresas e comprou uma carga avaliada em R$ 500 mil do Laticínio NATVILLE de mussarela, manteiga e queijo prato.

Utilizando documentos falsificados e mensagem eletrônicas hackeadas,  o grupo conseguiu que a carga fosse retirada da empresa e levada para um galpão na cidade de Teofilo Otoni/MG, baldeando a carga para outro caminhão vinte minutos depois como forma de despistar a Policia e levando para uma Distribuidora de alimentos já em Governador Valadares/MG.

Em Governador Valadares, era retirada a embalagem original e embaladas em etiquetas falsificadas do Laticínio Lactopar com sede no Paraná, além de também transformar o produto em mussarela fatiada para a venda no varejo.

Nesta distribuidora, foi apreendida parte da carga avaliada em R$ 150 mil. A Justiça sergipana foi essencial para a elucidação do caso que mesmo em atividade plantonista deferiu várias ordens judiciais de mandados de busca e prisões, possibilitando um saldo de três pessoas presas nas cidades de Entre Rios/BA, Alcobaça/BA e Governador Valadares, além da apreensão oito veículos, os quais foram utilizados para o cometimento do crime e alvo de possível sequestro de bens para ressarcimento da Empresa vítima do golpe.

A Polícia Civil sergipana agradece pelo apoio e empenho nas investigações dos integrantes da Polícia Rodoviária Federal, Polícia Militar e Civil de Minas Gerais nas cidades de Teófilo Otoni e Governador Valadares, a Polícia Civil e Militar baianas na cidade de Alcobaça e às inúmeras pessoas entrevistadas que dispuseram informações e filmagens de câmeras de segurança particulares com o intuito de ajudar a segurança pública.

Fonte: SSP