“O que o governo fala é um conjunto de mentiras para enganar a população”, diz Rogério Carvalho sobre reforma da previdência

Contrário a proposta de reforma da previdência, nesta segunda-feira, 7 de outubro, o senador por Sergipe, Rogério Carvalho declarou em entrevista ao Jornal da Xodó em Rede, que o governo federal tem se valido de alegações inverídicas para que a população acredite nas propagandas e na necessidade de que a medida seja adotada. “O que o governo fala é um conjunto de mentiras para enganar a população. Vamos ter um grande impacto nos salários dos trabalhadores que ganham menos. Nas economias das cidades, é dinheiro que deixa de circular, e apenas os bancos ganham com esta reforma. Não acho que quem ganha 5 salários mínimos tem privilégio frente a massa trabalhadora”, afirmou.

Ainda nesta temática, Rogério relatou aos âncoras Mary Rodrigues e Eduardo Carvalho, que até o pequenos empresários serão afetados, o que segundo ele, não foi dito pelo núcleo econômico do presidente Jair Bolsonaro. ” “Aí vai um recado para os pequenos empresários: são os aposentados que pagam boa parte das compras, e sem eles, como vai ficar o comércio? ”, questionou.

No segmento econômico, o senador criticou a forma ortodoxa e pautada em corte que é encabeçada pelo ministro Paulo Guedes e pontuou que tais diretrizes já têm trazidos prejuízos. ” “Em nosso estado por exemplo, Sergipe, a falta de investimentos provocou uma crise nos empregos nunca vista antes.  A hibernação da Fafen, a desmobilização da Petrobras, e a construção civil parada aumentou e muito o número de desempregados. Nossa política externa é desastrosa. Bolsonaro briga com os árabes e prefere abraçar Donald Trump, um contrassenso, frente aos indicadores econômicos.

Ao comentar sobre a Petrobras, inclusive, Rogério Carvalho disse que vai articular com os demais senadores de Sergipe e do Nordeste para uma audiência com o ministro Bento Albuquerque das Minas e Energia. “Vamos apresentar nesta terça, dia 8, um requerimento convidando o ministro Bento Albuquerque das Minas e Energia, para tratar sobre a saída da Petrobras do Nordeste.  Em Sergipe, a empresa foi responsável pelo desenvolvimento do estado. ”, finalizou.

Por Daniel Villas-Bôas, da Redação Xodó News